“Líder do Governo no TSE”, Gilmar Mendes livra Temer da cassação e Dilma de perder os direitos políticos



Com o voto de minerva já esperado do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes, a corte decidiu pela absolvição do processo de cassação da chapa formada pela ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB), vencedora da eleição de 2014.

Com a decisão, o peemedebista, pelo menos por enquanto, escapa do perigo mais iminente de seu governo. A petista também se livra de se tornar inelegível, como ocorreria, caso a chapa fosse impedida.

A ação proposta pelo PSDB pedia a cassação do diploma dos eleitos e, por consequência, a diplomação do segundo colocado no pleito, o senador afastado Aécio Neves, e do vice dele, Aloysio Nunes.

Além de Mendes, votaram favoravelmente à absolvição os ministros Napoleão Nunes, Admar Gonzaga e Tarcísio Nunes, totalizando quatro votos. Já os que se posicionaram pró cassação foram os ministros Herman Benjamin, relator da ação, Luiz Fux e Rosa Weber.

Em seu voto, Mendes disse que votar pela cassação de uma chapa de presidente se difere de atos de  “reintegração de posse”. O ministro sustentou a interpretação de que é necessário manter a “estabilidade”. "Vamos interpretar a Constituição à luz da realidade institucional. De um mandato outorgado pelo povo que se cuida, é disso que se cuida", afirmou durante seu voto. Mendes diz que se fosse aplicar o rigor até 2006 catingiria o governo do ex-presidente Lula, além do primeiro e segundo mandato de Dilma.

Após o resultado do TSE, muitos brasileiros insatisfeitos reproduziram memes contra Gilmar Mendes, que passou a ser um dos grandes odiados no país depois de dar o voto de minerva contra a cassação da chapa Dilma-Temer. “Triste seu posicionamento, diante da desonestidade de quem se encontra no poder, fartamente comprovada”, disse um dos interlocutores. Outro afirmou que ele “jogou a Justiça brasileira no lixo”.

Ele também chegou a ser chamado de “comprado” e por adjetivos como “corrupto” e “cagão”. Entre os que elogiaram sua posição, o discurso foi que ele minou o “golpe” dos “petralhas” e da mídia.

Além de Gilmar Mendes, votaram favoravelmente à absolvição da chapa Dilma-Temer os ministros Napoleão Nunes, Admar Gonzaga e Tarcísio Nunes, totalizando quatro votos. Já os que se posicionaram pela cassação foram os ministros Herman Benjamin, relator da ação, Luiz Fux e Rosa Weber.

Gilmar Ferreira Mendes

Nascido em Diamantina –MG, em 30 de dezembro de 1955, Gilmar Mendes é jurista, magistrado, professor e ex-advogado brasileiro.

É ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) desde 20 de junho de 2002, tendo presidido a corte entre 2008 e 2010. Foi indicado pelo então Presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, em cujo governo exercera o cargo de Advogado-Geral da União desde janeiro de 2000.

É o atual presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Foi considerado pela Revista Época um dos 100 brasileiros mais influentes no ano de 2009.

Assista ao vídeo do jornalista Ricardo Boechat
ao criticar Gilmar Mendes - Click no link

https://www.youtube.com.br/embed/HPVFlFZxcz4?ecver=2


 

Comentários

Notícias Relacionadas

Piauí quer empréstimo de R$ 1 bi junto a CEF para infraestrutura e saneamento, diz Ciro Nogueira
Florentino e Silvio serão convidados a falar sobre o SUS
Aliados apelam ao “caos econômico” para salvar Temer
Redução de zonas incentiva transporte ilegal de eleitores
Fachin tira de Moro investigações sobre Lula e Eduardo Cunha
TV JORNAL DA CIDADE
Untitled Document
Heráclito Fortes é hostilizado por petistas ao chegar a Teresina
Mais Videos

Untitled Document

Por Safira Bengell: Badalações em Teresina e no Rio de Janeiro
O Boato de Enéas Barros
QUEM REALMENTE MANDA NO BRASIL?
Socorro!!!

Untitled Document

Diego Albert Web Desenvolvimento

Mapa do site


Jornal da Cidade 2003-2011 © Todos os direitos reservados.
É permitido a reprodução do conteúdo deste portal desde que citado com fonte.