Últimas
  Wellington Dias reage às declarações de Firmino // PRF abusa e humilha motoristas nas estradas durante o carnaval // Quem são as vítimas do acidente em Campo Maior // PRF registra maior número de acidentes na rodovia BR-343 // Aberta a temporada de mortes nas estradas durante o carnaval 2020 //
 


www.jornaldacidadepi.com.br

 
 
 
Copiou discurso alheio e foi demitido por incapacidade

Roberto Alvin e Bolsonaro momentos antes da sua demissão

O presidente Jair Bolsonaro confirmou, no início da tarde desta sexta-feira (17/1), a demissão de Roberto Alvim, até então secretário de Cultura do governo. No comunicado divulgado em redes sociais, o chefe do Executivo classificou o episódio como um "pronunciamento infeliz" que tornou "insustentável" a permanência de Alvim.

A exoneração já era esperada, de acordo com interlocutores próximos ao grupo político do Executivo. Fontes no Planalto, além da cúpula militar, consideravam como certa a saída do secretário de Cultura.

A causa da demissão foi um vídeo publicado no perfil oficial da secretária de Cultura, no Twitter, na noite de quinta-feira (16/1). No discurso, Alvim usou trechos de uma fala de Joseph Goebbels, ministro da propaganda de Hitler. Internautas perceberam, também, que a música de fundo escolhida para a publicação de Alvim é a ópera Lohengrin, de Richard Wagner, obra considerada pelo próprio Hitler como decisiva em sua vida. 

Continua depois da publicidade

Na nota, o presidente Jair Bolsonaro também dedicou espaço para repudiar "ideologias totalitárias e genocidas". O político manifestou "total e irrestrito apoio à comunidade judaica".

Confira a nota na íntegra:

"- Comunico o desligamento de Roberto Alvim da Secretaria de Cultura do Governo. Um pronunciamento infeliz, ainda que tenha se desculpado, tornou insustentável a sua permanência.

-  Reitero nosso repúdio às ideologias totalitárias e genocidas, bem como qualquer tipo de ilação às mesmas.

- Manifestamos também nosso total e irrestrito apoio à comunidade judaica, da qual somos amigos e compartilhamos valores em comum.

Presidente Jair Bolsonaro" 

- Reitero nosso repúdio às ideologias totalitárias e genocidas, como o nazismo e o comunismo, bem como qualquer tipo de ilação às mesmas. Manifestamos também nosso total e irrestrito apoio à comunidade judaica, da qual somos amigos e compartilhamos muitos valores em comum.

— Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) January 17, 2020

Repercussão

O vídeo de Alvim causou alvoroço nas redes sociais e, já na madrugada de sexta, era o assunto mais comentado no Twitter: os internautas não demoraram a relacionar o discurso do secretário com um discurso de Goebbels.

Durante a manhã, figuras do cenário político também se pronunciaram. O presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ) pediu a "demissão imediata" do então secretário de Cultura. Já o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) — que é judeu — registrou repúdio e também pediu a saída de Alvim.

Outros parlamentares, como Erika Kokay (PT-DF), Marcelo Freixo (PSol-RJ) e  Randolfe Rodrigues (Rede-AP) também criticaram o teor do discurso. O ministro Dias Toffoli, do STF, repudiou a fala de Alvim, assim como o presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, para quem o vídeo foi considerado antidemocrático. 

Nossa opinião

Para nós do Jornal da Cidade, o que aconteceu com o secretário da Cultura do governo federal, foi, tão somente, incapacidade de construir um texto que se adequasse ao seu intento, e teve que buscar ajuda na Internet, onde quase tudo está pronto.

Pecou e pagou com sua demissão por falta de capacidade de gestão, ao copiar e colar um texto nazista de extrema infelicidade sugerido por Joseph Goebbels a pedido de Hitler, para disfarçar o seu extermínio de judeus através da cultura. Ele teve até mesmo a intenção de agradar o seu chefe maior, Bolsonaro, mas o tiro saiu pela culatra e dançou.




 







A notícia em Primeiro Lugar

Uma publicação do
Instituto Nonato Santos e
VND - Comunicação
Rua Tiradentes, 1358
(86) 3222-5832

 



Fale Conosco

O nosso propósito é levar a informação a todos os recantos do Piauí, do país e do mundo, com imparcialidade e respeito.

COMO ANUNCIAR

Para anunciar no Jornal da Cidade, basta ligar para:

(86) 99942-2747 - (86) 3222-5832 - (86) 99520-1308, ou pelos E-mais:
vilsonsanttos@bol.com.br
nilson_1@hotmail.com