Últimas
  Delegado Samuel Silveira quer investigação de áudios criminosos // Desenvolvimento e crescimento em tempos de pandemia // Constituição // Motoristas do Transporte Eficiente cruzam os braços // O adeus ao ex-prefeito Firmino Filho em Teresina //
 


www.jornaldacidadepi.com.br

 
 
Motoristas de ônibus não confiam na prefeitura e continuam greve



Em coletiva de imprensa virtual realizada nesta sexta-feira (05), o Sindicato das Empresas Transporte Urbano de Teresina (SETUT) informou a decisão de aceitar a proposta da Prefeitura de Teresina em parcelar a dívida de 22 milhões em 20 vezes, acumulada até setembro de 2020. A coletiva contou com a participação da assessora técnica da diretoria, Myrian Aguiar, do coordenador técnico da entidade Vinicius Rufino e demais representantes do SETUT.

Os motoristas e cobradores decidiram não voltar às atividades por  não confiar na promessa da prefeitura de Teresina, uma vez que caso bem recente como este não foi co=umprido.

Em seu pronunciamento, o vice-presidente do SETUT Marcelino Lopes expôs o panorama do cenário do sistema de transporte público de Teresina e informou a decisão definida entre os empresários para aceitar a proposta da gestão municipal. 

“O SETUT irá aceitar a proposta financeira feita pela Prefeitura de Teresina, mesmo sendo muito aquém das expectativas e necessidades das empresas operadoras. A proposta financeira da gestão é para iniciar o pagamento da dívida atual de R$ 22 milhões. Esse gesto de aceitar o reparcelamento de uma dívida já negociada, demonstra de forma clara a intenção das empresas em contribuir, com esse esforço colossal, para que os serviços de transportes voltem a servir aos teresinenses”, disse. 

Segundo Marcelino, por contrato a prefeitura deveria pagar a diferença entre a tarifa técnica (quanto custa para operar o sistema) e a tarifa pública, aquela que o usuário efetivamente paga. Por este cálculo, a dívida acumulada com as empresas alcançou R$ 20 milhões, que deveriam ser pagos em 10 parcelas de R$ 1 milhão, aproximadamente.

“Para quitar esta dívida com os trabalhadores será necessário recorrer ao sistema bancário, uma vez que o valor total é de R$ 2 milhões. Como a prefeitura nos repassará R$ 1,6 milhão, teremos de completar com mais R$ 400 mil”, informou.

Além da decisão tomada pelo Sindicato das empresas, também foram esclarecidas dúvidas referentes à greve dos motoristas e cobradores, legalidade dos contratos, obrigatoriedade da Prefeitura subsidiar o sistema, venda e recursos sobre o vale-transporte e cálculo das tarifas.




 







A notícia em Primeiro Lugar

Uma publicação do
Instituto Nonato Santos e
VND - Comunicação
Rua Tiradentes, 1358
(86) 3222-5832

 



Fale Conosco

O nosso propósito é levar a informação a todos os recantos do Piauí, do país e do mundo, com imparcialidade e respeito.

COMO ANUNCIAR

Para anunciar no Jornal da Cidade, basta ligar para:

(86) 9936-5070 ou pelos E-mail:
vilsonsanttos@bol.com.br