Últimas
  Kajuru mete a peia em Gilmar Mendes, do STF // UFPI pede reforço de Ă´nibus Ă  Strans para volta Ă s aulas // Bolsonaro vai aumentar teto do seguro-desemprego // Presidente do TJ anuncia concurso para breve // Chegam ao PiauĂ­ as doses para imunizar crianças //
 


www.jornaldacidadepi.com.br

 
 
Professor é preso por mostrar o valor do contracheque a alunos

Um professor de português Chico Amâncio, da escola de ensino fundamental Raimundo Nonato, da cidade de Votuporanga, interior de São Paulo, foi preso acusado de atentado violento ao pudor simplesmente por ter mostrado o seu contracheque no valor de R$ 875,00 aos alunos durante uma aula.

O professor teve a sua licença cassada pelo MEC. Ele era o preferido de todos os pais e alunos da escola por ensinar com dedicação e fazer com que seus alunos tirassem notas boas. Mas após denúncia de alguns alunos que viram o seu contracheque, os pais resolveram levar o caso à polícia, que o indiciou e o prendeu.

A diretora da escola, Fátima Mello, foi uma das que mais se surpreendeu com o fato e ficou surpresa ao ver seu professor atrás das grades. Segundo ela, os alunos chegam a casa em estado de choque e contaram aos pais que viram uma coisa muito inapropriada para a idade deles e o caso foi parar na delegacia.

ASSISTA AO VÍDEO

De acordo com declarações do delegado Milton Aranha, um aluno que viu o contracheque do professor chegou a desmaiar caracterizando um atentado violentíssimo ao pudor, por isso determinou a sua prisão e agora está aguardando decisão da Justiça para o caso.

Um dos pais mais indignados com o gesto do professor Chico Amâncio é Maurício Seixas, que é pais do aluno Juliano Seixas, o próprio que sofreu o desmaio. “Ele não deveria fazer isso com uma criança, pois quando essa criança crescer sabendo que um professor ganha tão pouco e o que deve acontecer com o seu futuro. Por isso eu quero “cana” para ele”, disse o pai do aluno.

Se for condenado, o professor Chico Amâncio poderá escolher ficar preso ou dar aulas de graça por um mês. E ele já fez a escolha: “fiz minhas contas e prefiro ficar preso, pois com o que ganha não consigo nem me alimentar, e pelo menos aqui na cadeia tenho uma “boi” duas vezes ao dia”, lamentou o professor.

Vilson Santtos
REDAÇÃO JORNAL DA CIDADE




 







A notícia em Primeiro Lugar

Uma publicação do
Instituto Nonato Santos e
VND - Comunicação
Rua Tiradentes, 1358
(86) 3222-5832

 



Fale Conosco

O nosso propósito é levar a informação a todos os recantos do Piauí, do país e do mundo, com imparcialidade e respeito.

COMO ANUNCIAR

Para anunciar no Jornal da Cidade, basta ligar para:

(86) 9936-5070 ou pelos E-mail:
vilsonsanttos@bol.com.br